17/03/2011 12:00 am

AGRICULTURA FAMILIAR CONTINUARÁ COMO PRIORIDADE, DIZ MINISTRO

AGRICULTURA FAMILIAR CONTINUARÁ COMO PRIORIDADE, DIZ MINISTRO

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, afirmou nesta terça-feira (15) que a agricultura familiar continuará como uma das principais prioridades do governo da presidenta Dilma Rousseff. De acordo com o ministro, que participou da reunião de reinstalação da Frente Parlamentar da Agricultura Familiar, todos os projetos que serão implantados pelo governo, com vistas à extinção da miséria e da pobreza no Brasil, terão conexão com os programas da agricultura familiar.

Afonso Florence destacou a importância do setor para a economia brasileira e citou dados do Censo Agropecuário do IBGE, segundo os quais o setor é responsável pela produção de cerca de 70% dos itens básicos da alimentação nacional. “74% da mão de obra do setor agropecuário nacional e 10% do PIB brasileiro são originários da agricultura familiar. Ela é um patrimônio nacional e a presidenta Dilma já garantiu que o setor terá todo o apoio para continuar expandindo, gerando renda e assegurando o desenvolvimento no campo”, disse.

Reeleito coordenador da frente, por unanimidade, o deputado Assis do Couto (PT-PR) apresentou aos integrantes da frente um texto base para discussão, contendo os principais desafios para o setor. Entre os temas elencados no documento está o acompanhamento dos debates em torno do Código Florestal, a regulamentação da lei da Agricultura Familiar, educação profissional para os agricultores e o acesso à terra. A frente recebeu a adesão de 223 deputados.

“A frente tem um propósito de dar visibilidade aos temas da agricultura familiar, que é um importante setor da sociedade brasileira. A agricultura familiar tem que ter uma posição sobre as mudanças no Código Florestal, para que possamos encontrar um equilíbrio entre os interesses dos grandes produtores agrícolas e as questões ambientais”, destacou Assis. Outra demanda urgente do setor, explicou o parlamentar, é a questão da qualificação dos jovens do campo. “É necessário criar uma política forte de incentivo à sucessão na agricultura familiar. Para isso, temos que qualificar os jovens e assegurar a continuidade na produção”, destacou.

Membro da frente, o deputado Jesus Rodrigues (PT-PI) disse que vai defender, além do desafio do acesso a terra, a participação da agricultura familiar na produção de biocombustíveis e etanol. “Nos últimos anos, os biocombustíveis têm sido uma atrativa atividade de geração de emprego e renda. Temos que colocar a agricultura familiar na produção de biocombustível e também no etanol, que é outra grande oportunidade”, defendeu. O parlamentar também disse que centrará esforços na certificação dos produtos da agricultura familiar, para facilitar a comercialização da produção.

Fonte: PT na Câmara

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=149687&id_secao=1

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br