21/09/2012 12:00 am

"A greve é nossa única arma neste momento", alerta Sintect-SP

“A greve é nossa única arma neste momento”, alerta Sintect-SP

 

Apesar dos avanços nas negociações no Tribunal Superior do Trabalho (TST), a indicação ainda é pela manutenção da greve, tendo em vista os retrocessos propostos pela Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) com relação ao plano de saúde. Leia o texto do presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios e Telégrafos de S. Paulo (Sintect-SP),  Elias Cesario de Brito Junior. A próxima assembleia será realizada na segunda-feira (24), no CMTC Clube, zona norte da capital.

 

 

A greve é nossa única arma neste momento

 

Companheiras e companheiros,

 

A proposta de conciliação apresentada pela Ministra vice-presidenta do TST, que traz dentre outras propostas o reajuste salarial de 5,20% que repõe a inflação dos últimos 12 meses, o reajuste linear de R$80,00 (oitenta reais), o reajuste do vale alimentação/cesta para R$27,41 (8,14%), a manutenção do vale alimentação extra (vale peru) em dezembro, o reajuste do auxílio babá e auxílio necessidades especiais em 5,20%, significou um grande avanço.

No entanto, a nossa preocupação está na cláusula 11, referente à assistência médica, onde a Ministra do TST mantêm a cláusula conforme proposta da ECT, que poderá alterar os moldes atuais. Por esse motivo as assembleias destacaram essa questão, e decidiram que não podemos assinar um Acordo Coletivo que traga esse grande prejuízo aos trabalhadores.

 

Abaixo, alguns itens que podem ser alterados:

 

– Correios Saúde: Plano gerido pela ECT, autorizando as consultas, tratamentos, cirurgias e internações. A ECT é que define a cobertura do plano, assim como os profissionais e os estabelecimentos que poderão prestar atendimentos;

 

– Planos Terceirizados: pelas normas da ANS, os planos podem ser terceirizados e geridos por empresas particulares, que definem tudo.

 

– Correios Saúde: Plano da modalidade hospitalar com obstetrícia e odontologia. Maior cobertura em cirurgias de alto custo.

 

– Planos Terceirizados: Sem odontologia.

 

– Correios Saúde: Participação financeira através de compartilhamento, definido no acordo coletivo. O pagamento é apenas uma porcentagem daquilo que é usado.

 

– Planos Terceirizados: Cobrança de mensalidade do trabalhador e de seus dependentes ou aumento do compartilhamento definido pela empresa terceirizada.

 

– Correios Saúde: Pai e Mãe como dependentes.

 

– Planos Terceirizados: Apenas cônjuge e os filhos menores de 21 anos podem ser dependentes.

 

– Correios Saúde: Aposentados fazem parte do convênio.

 

Planos Terceirizados: Não há garantias de extensão do benefício aos aposentados.

 

Companheiros, pensem bem. É preciso lutar contra este absurdo!

 

 

Elias Cesario de Brito Junior, presidente do Sintect-SP

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=194374&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br